Traição no casamento pode gerar indenização milionária

Congresso Nacional deve votar  uma  lei que tenta preservar a instituição da família.

O projeto lei, que vem sendo elaborado por um parlamentar evangélico, trilha no mesmo caminho da  legislação americana, conhecida como “alienação de afeto” (alienation of affection).  A lei vigora mos estados do Hawaii, Illinois, Carolina do Norte, Mississippi, Novo Mexico , Dakota do Sul  e Utah.

Entender a lei é bem simples :  o empresário Carlos Lima se separou de sua  esposa,  Carmilva Smith, como que foi casado durante 15 anos, porque se apaixonou pela sua secretária Jane Torrintello. Os familiares de Lima, o psicoterapeuta, o pastor, lhe aconselharam a se divorciar da esposa.  Nesse caso, Carmilva pode processar Jane e todos os que aconselharam o ex marido  a disolver o matrimônio, e bem como os empregadores de Carlos.

Carmilva precisa provar que tinha um casamento estável antes do marido se apaixonar pela secretária — não precisa ter sexo envolvido na situação, e que Jane, intencionalmente, agiu para destruir o relacionamento em todos os níveis.

Anualmente são protocolados cerca de 2.000 novos processos nos Estados Unidos. As indenizações variam de $ 1 milhão ( R$ 2 milhões) a $ 9 milhões (R$ 18 milhões).

O parlamentar   evangélico disse que a lei deve salvar milhares de casamentos no país, e que Brasília é uma “Ilha da Tentação”.  “Essa legislação terá um grande impacto, a começar dentro do Congresso Nacional”.

 

* Colaborou Freddy de Freitas, Nova Iorque Bureau


Print Friendly, PDF & Email